Jerome Vonk

Socorro, Houaiss, socorro, Google Tradutor!

maio
01

Em um posto da BR 116, no estado de São Paulo, vários cartazes como este advertem o público sobre a interdição de fumar na área pública externa.

A intenção do aviso é louvável e boa, o português no qual é escrito é passável (em baixo?!?!?) e o inglês é mais pior (de propósito) do que resultado de Google Tradutor: Smoking is prohibited no the bottom of the cover.

Há a indicação de um telefone para denunciar o descumprimento da lei.
Faltou o número para delatar o linguicídio de ambos idiomas.

 

Sem categoria , , , Comentários desativados em Socorro, Houaiss, socorro, Google Tradutor!

Brasil Brokers, Idiota!

abr
29

O celular tocou.
Uma, duas, três vezes. Em cinco minutos.
Não atendi, pois estava resolvendo um assunto importante naquele momento.

Saí da agência do Itaú, do Center Três da avenida Paulista, me perguntando quem estaria me chamando, com esta insistência, por um número que meu smartphone não identificou.
O celular tocou pela quarta vez.

– Alô?
– Aqui é Marisa, da Brasil Brokers. Estou com uma oferta exclusiva e limitada de um empreendimento top, que bate com seu perfil. São espaçosos 22 m² bem distribuídos…
– Ei, ei, ei… Quem te deu meu número?
– Peguei numa lista, aí…
– Então apague meu registro. Agora. Isto é spam telefônico e eu nunca autorizei…
– Seu idiota!

Marisa desligou o telefone na minha cara. E eu fiquei no vácuo, tentando digerir a experiência (palavra da moda) proporcionada pela Brasil Brokers.

Cheguei à conclusão que sou um consumidor muito mal-agradecido.
Que não reconhece o esforço do pessoal do telemarketing em me perseguir, sempre que possível, e oferecer ou produtos e serviços que já tenho ou que nunca desejei.
Que não tem consideração com os atendentes de loja ou caixas de supermercados, cujas animadas conversas vitais interrompo com minha fútil intenção de compra.
Que não admira marca e nem torce por nenhuma corporação ou instituição.

Não fosse pelo fato de ter algum dinheiro me tornar um potencial desejado consumidor, eu não passaria de um mero cidadão. Extremamente mal-agradecido, por sinal.

 

Comentários desabilitados – por causa do número estratosférico de mensagens spam – mas extremamente bem-vindos: cartas (arroba) ofielcarteiro.net

Paztor Karnal

abr
28

Confesso que nunca havia ouvido falar de Leandro Karnal até recentemente.
Li um texto dele em um dos pseudo-sérios jornais paulistanos, e me chamou a atenção sua erudição.
Pouco tempo depois, vi-o na TV Cultura – tecendo comentários sobre um tema do qual não me lembro – e a primeira impressão perdurou.
Fiz uma rápida pesquisa e aprendi tratar-se de um historiador, com forte inclinação filosófica.

Um belo dia, deparei com sua coluna televisiva diária, na Band News, e seu tom era outro: de analista crítico, seu discurso ecoava o de um guru de autoajuda.
Em pouco tempo, sua fala mudou novamente.
Quem aparece agora é um pregador messiânico, mestre edulcorado de edulcorante exortação, com leve inspiração freudiana.

Ele, agora, é o Careca de saber.
Eu, o de Saco cheio de ouvir.

Comentários desabilitados – por causa do número estratosférico de mensagens spam – mas extremamente bem-vindos: cartas (arroba) ofielcarteiro.net

Sem categoria , Comentários desativados em Paztor Karnal

Escrita bipolar

abr
08

Nada melhor, para escrever um relato bipolar, do que escrever em dois caderninhos distintos.

Não que isto tenha acontecido de propósito. Simplesmente esqueci o exemplar original no escritório e, quando dei falta dele, peguei o outro (tinha comprado dois).

A primeira frase deste curto texto, portanto, não é verdadeira.
Mas produz um belo efeito.

E, como tudo na vida, acabo recontando a história, de forma a ficar mais bonito na foto.

Comentários desabilitados – por causa do número estratosférico de mensagens spam – mas extremamente bem-vindos: cartas (arroba) ofielcarteiro.net

Sem categoria Comentários desativados em Escrita bipolar

Y arranca Uruguay!

jun
29

O Uruguai é um pequeno e valente país, situado entre o Brasil e a Argentina.

Em termos democráticos e de avanço social, ele se notabilizou ao longo do tempo ao promover:

– a secularização (passagem do domínio religioso para o leigo) dos eventos cristãos em 1915;
– a aprovação do voto feminino em 1927;
– a legalização de uniões civis de gays e lésbicas (com mais de 5 anos de convivência) em 2007;
– a derrubada do veto contra homossexuais no Exército, em 2009;
– a legalização do aborto em 2012;
– o casamento gay em 2013;
– a regulamentação do plantio e mercado da maconha em 2013.

E agora lança, em avant-première mundial, o primeiro cigarro 2 em 1, que satisfaz simultaneamente aos viciados do álcool e do tabagismo.

. IMG_0538

Sem categoria Comentários desativados em Y arranca Uruguay!

Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 1 de 5)

abr
26

Ele começa a rabiscar no iPad –  a atual tábua digital – e relê os 4 primeiros  mandamentos (com algumas observações entre parênteses), à voz alta:

  1. Não procriarás em vão (já tem gente demais por aí)
  2. Não falarás em meu nome, nem em vão muito menos de propósito (me usando de desculpas para tudo)
  3. Não matarás a Terra, sua Mãe
  4. Não andarás de transporte privado

Depois de uma manhã de intenso trabalho, pensando no assunto, ele sai para comer um PF e tomar uma cerveja.

De barriga e cara cheias (ficar só na primeira cerveja é uma missão impossível), ele briga com o garçom por causa da gorjeta e manda o português do bar para aquele lugar.

Com raiva e azia (a discussão embrulhou o estômago dele), ele tenta voltar a escrever a sequência dos mandamentos.

  1. Amarás ao teu próximo como a ti mesmo, se o teu próximo for realmente o teu próximo
    OU
    5. Todos os homens são considerados iguais, a não ser quando não o são
    OU
    5. Ame teu semelhante (mas qual? o outro que vejo na minha frente, ou aquele que reflito no espelho?)

– É, hoje não dá para continuar com esta divina tarefa – resmunga. ­– A briga me deixou enfezado.

jesus bw

Sem categoria Comentários desativados em Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 1 de 5)

Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 2 de 5)

abr
26

Ele se deita no sofá, dorme de olhos abertos, acorda de olhos fechados, se levanta, vai ao banheiro, urina, lava a mão, esfrega o rosto, senta à mesa, pega o iPad, relê umas tantas vezes o que escreveu e não consegue decidir qual das três versões do 5˚ mandamento será a final.

Resolve decidir no palitinho e descobre que só tem aquele mini isqueiro Bic roxo em casa.

–  Saco, tem dia que parece noite!

Sem outro recurso, escreve as três frases em três tiras de papel, corta-as palavra por palavra, joga os papelotes na mesa, cata uma meia dúzia e constrói uma frase com começo, meio e fim.

E o 5˚ mandamento surge, imperativo e definitivo:

Amarás a teu semelhante, se o considerar como o teu próximo.

Feliz, abre outra cerveja e assiste ao Cidade Alerta e Brasil Urgente, zapeando entre um canal e outro.

Enquanto passam as imagens na tela, os apresentadores fazem cara de inteligente e repórteres sem a mínima noção repetem sem parar os detalhes deste ou aquele velho crime, banal e repetitivo. (No início, Caim mata Abel, lembra?)

– Parecem profetas do Apocalipse, ou candidatos a cargo público – resmunga.

Da rua, vem um som infernal de uma banda de péssimo gosto musical, com um refrão que só tem vogais.

– Os surdos ouvirão, e os que não são (surdos, ainda) se tornarão (surdos) – profetiza, em tom de brincadeira bíblica.

Deus (a esta altura você já deve ter desconfiado que é ele o herói desta pequena aventura) vira a cabeça de um lado para o outro, como se estivesse respondendo NÃO a uma pergunta, e o desânimo fica evidente em seu rosto.

– Não sei se essa foi minha melhor ideia, esta coisa de criar a Terra, o Céu, os Animais, o Homem à minha imagem e semelhança.

jesus bw

Sem categoria Comentários desativados em Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 2 de 5)

Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 3 de 5)

abr
26

– Bom, de volta ao trabalho, senão esta atualização de mandamentos não sai nunca!

Ele respira fundo, faz o sinal da Cruz, relê o que já escreveu, completa o que falta, conserta algumas frases, procura por erros e, finalmente, contempla sua nova obra:

  1. Não procriarás à toa
  2. Não falarás em Meu nome, nem em vão muito menos de propósito
  3. Não matarás a Terra, sua Mãe
  4. Não andarás de transporte privado
  5. Amarás a teu semelhante, se o considerar como o teu próximo
  6. Não acreditarás na mídia televisiva, falada e escrita
  7. Não confiarás em religião institucionalizada nem em partidos políticos
  8. Cultivarás mais o espírito e menos a matéria
  9. Desconfiarás das redes sociais, das marcas e da publicidade, como Eu desconfio do Diabo
  10. Não cairás nas tentações da indústria médica e farmacêutica.

Ele coça a cabeça, suspira durante alguns segundos que parecem eternos, e diz:

– Quero ver quem vai me chamar agora de Pai Relapso. Pô, estou até facilitando a vida da turma, ao tornar estes mandamentos em instruções bem mais fáceis de serem seguidas.

Lá fora, estoura um pneu, logo depois um outro. Ele vai até a janela e percebe, tarde demais, que se trata de tiros. Antes que ele consiga esboçar qualquer reação, uma bala perdida o acha.

– Cacete, esta ideia de me transformar em ser humano, para me misturar com o pessoal, também não foi das melhores.

O que ocorre é que, quando Deus incarna em um corpo humano, ele perde seus superpoderes e se torna mortal. Como o narrador desta história ou você, leitor.

jesus bw

Sem categoria Comentários desativados em Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 3 de 5)

Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 4 de 5)

abr
26

Atingido na orelha, ele sente o sangue escorrer pelo pescoço e ombros, como se fosse água quente jorrando de uma torneira.

Ele cambaleia, anda até a porta de entrada do apartamento e a abre, para logo cair de costas no chão.

Seu vizinho, um ateu silencioso como a morte, está justamente subindo as escadas. Ele larga as compras e acode aquele senhor gordo, com bafo de cerveja e sujo de sangue. Pega o celular e chama o SAMU que, por milagre ou coisa parecida, chega em 5 minutos.

– O senhor é parente dele? – pergunta o motorista.

Teodoro, o vizinho, mente dizendo que sim, e informa que o nome do baleado é David Emmanuel Urbano Santos.

Dentro da ambulância que sacoleja sem parar, Deus – tornado homem por sua própria vontade – não resiste ao ferimento e aos buracos do asfalto da cidade, que balançam o seu corpo para lá e para cá. Ele pede a Teodoro se aproximar e sussurra:

– Diga a meu Filho para perdoa-los, pois eles não sabem o que fazem.

Em silêncio, ele faz o sinal da cruz, em Seu nome, o de Jesus e do Espírito Santo.

O vizinho olha para o enfermeiro, que olha para o vizinho, e ambos ficam calados.

jesus bw

Sem categoria Comentários desativados em Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 4 de 5)

Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 5 de 5)

abr
26

No enterro, só o descrente Teodoro está presente.

Um padre aparece, do nada, e se oferece para fazer uma prece, em troca de uma ajudinha para o trabalho social que ele faz na paróquia dele.

O vizinho não responde e continua olhando o caixão.

O sacerdote, por vergonha, por sentido do dever ou por hábito automático, faz o sinal da cruz e fala:

–  Estamos aqui hoje para pedir perdão e…

Perdão?

O ateu vira as costas e vai embora.

No Céu, a notícia corre rapidamente. Jesus está inconsolável e o Espírito Santo o abraça.

– Agora somos nós dois, a fazer o trabalho dos três. A vida continua e temos nossa missão a cumprir.

Na Terra, a morte de Deus passa desapercebida.

Teodoro, como um favor ao amigo que nunca chegou a conhecer, arruma os poucos pertences do falecido vizinho, pois o proprietário do apartamento quer aluga-lo para outra pessoa.

Ao tocar na tela do iPad, aparece o arquivo Word no qual Deus escreveu os novos mandamentos.

– Morria e não sabia, – ele disse. O cara era escritor de ficção científica, meu gênero preferido de leitura.

jesus bw

Sem categoria Comentários desativados em Os dez mandamentos, versão 2016 (parte 5 de 5)

Os seios da mulher desejada

abr
25

Ela era a mulher mais bonita do mundo.
E ele não suportava a ideia de que ela pudesse pertencer a outro homem.
E sobretudo que alguém tocasse naqueles seios perfeitos.

Ela costumava tomar chá de erva cidreira e todas as tardes ia no campo, atrás de sua casa, cortar algumas folhas frescas.

Ele vendeu todos os bens que tinha e encomendou, à parteira cega que lia a sorte dos outros na palma das mãos, determinado feitiço.
Dona Joana disse a ele que o que pedia custaria muito caro.

No início de uma bela quarta-feira de primavera, ele se transformou em um ramo de erva cidreira e ficou esperando ser colhido por sua amada.

Não demorou muito, ele já fervia no bule, passou para a caneca e mergulhou na boca da mulher.

Nove meses depois, ele nasceu e nunca mais saiu do colo da mãe.
Aqueles seios seriam seus, para sempre. 

O pai, com o passar do tempo, foi tomado por ciúmes doentios, já que sua mulher vivia apenas para o filho.
Ele passou frequentar botecos e a se embebedar.
Nunca perdeu a compostura.
Voltava para casa, em um estado imprestável, olhava para os dois com os olhos transbordando de tristeza e adormecia sem dizer nada.

Maria entendia o que se passava e não sabia o que fazer.
A criança crescia, crescia e não desmamava nunca.
Ela pensou, uma noite, que a morte talvez fosse a solução.

Neste exato momento, o menino acordou, assustado com o sonho no qual via sua mãe tomando uma caneca de erva cidreira com mata rato.
Desesperado, ele foi à casa da parteira e pediu para reverter o feitiço.

Ela riu, com malvadeza, mas quando ele encostou uma faca em sua garganta, ela cedeu.
Preparou uma bacia com água quente, na qual ele sentou, e foi jogando suas ervas mágicas em seu corpo.

Quando ele percebeu que estava se transformando em um ramo de erva cidreira, já era tarde demais para qualquer reação.

Dona Joana foi encontrada morta, no dia seguinte, vítima de uma hemorragia intestinal fatal.
Ao seu lado, uma caneca de chá de erva cidreira derrubada no chão.

inner-breast-surgery

Sem categoria Comentários desativados em Os seios da mulher desejada

Se deber, não birija!

abr
22

IMG_1681

Sem categoria Comentários desativados em Se deber, não birija!

O tabaco e o plano infalível

abr
21

Fumei durante 27 anos e parei há quase 18.
3 maços por dia, uns 2 cigarros antes de sair da cama.
Sempre sem filtro: Camel, Lucky Strike, Gauloises, Parisiennes, Peace, Kent, Português suave Continental, Pall Mall, os enrolados na mão (tabaco Drum e Samson, ambos holandeses).

Como minha mente costuma me pregar inúmeras peças, nas quais sempre acabo pagando o pato, digo a mim mesmo em alta voz – para que ela ouça e acredite – que eu não parei, mas que estou parado.
A expressão nunca mais soaria trágica e fatal demais.

Como gosto muito de fumar e ainda tenho vontade, até hoje, tracei um plano que faz todo o sentido do mundo; retomo o vício 6 meses antes de morrer.
A ingestão de nicotina, o alcatrão e as toneladas de componentes químicos não farão tanta diferença assim, no meu destino final.

Mas esse estratagema tem 2 problemas, bastante difíceis de serem resolvidos: não tenho a mínima ideia de quando morrerei e nem quero saber.

continental

Sem categoria Comentários desativados em O tabaco e o plano infalível

Amar é fácil, difícil é odiar com civilidade

abr
14

Amamos a poucos, e ainda por cima amamos mal, de forma egoísta e parcial.
Mas amar é fácil, não requer esforço.

Por outro lado, odiamos aos montes, à direita e à esquerda, pelos mais sagrados ou fúteis motivos.
E saber odiar é um longo aprendizado.

Para mim, por exemplo, o que mais desperta minha ira é a sala de embarque de aeroporto, em voo internacional.
Aquela gente falando alto, carregando malas de mão que mais parecem butim de guerra, comendo de boca aberta, fedendo à perfume… fazem meu sangue ferver.

Adoraria ter um raio mortal, do tipo phaser, usado pelo comandante Kirk, e aniquilar este alienígenas.
Mas isto seria prova de muito amor… amor à violência e intolerância.

Como bom cidadão cristão, mantenho meu ódio vivo e aquecido dentro de mim, civilmente domesticado, com Cristo no coração.

P.S. Redigi este texto em uma pequena viagem internacional. Ao chegar em São Paulo, esperamos todos meia-hora para que as malas começassem a aparecer na esteira.
Um destes seres do Mal falava alto ao celular, prestando contas meticulosas de sua viagem, hora a hora, dia a dia.

E finalizou a peroração pública dizendo:

– A vida é uma só, e quero vivê-la plenamente. E você já sabe, quando for minha hora, quero que minhas cinzas sejam jogadas ao pé do chorão, que fica ao lado do Pont Saint-Louis, em Paris.

Não fosse minha bagagem ter aparecido exatamente neste momento, com muito prazer teria pulverizado esta mala sem alça, para satisfazer o seu último desejo e como medida de cortesia aos outros passageiros.

cristo

Sem categoria Comentários desativados em Amar é fácil, difícil é odiar com civilidade

Buemba uruguaya!

abr
12

Foi descoberto em Carrasco, bairro de alta classe média de Montevideo, um pequeno artefato explosivo carregado com 15 gramas de cobalto-60.
Nada muito mortal, mas extremamente cancerígeno.
A bomba suja estava programada para disparar três horas antes da chegada do vento Minuano, de origem polar, que sopra forte e constante quando atravessa o Uruguai rumo aos estados do sul do Brasil.

Dois terroristas belgas, de descendência africana mulçumana, foram detidos e duramente interrogados pela polícia local, formada por ex-Tupamaros treinados pessoalmente por José “Pepe” Mujica, quando guerrilheiro, em meados dos anos 70.
O tratamento dentário con cuchillo afilado y salsa de ajo abriu rapidamente a boca dos malfeitores, frustrando assim o atentado.

O motivo da prisão foi o mais fortuito possível, e não se deveu à nenhuma inteligência policial ou serviço de informação nacional ou estrangeiro.
Os dois indivíduos foram denunciados pelo frequentadores de uma rinha de galos, situada na garagem do consulado alemão, na qual entraram por engano.
Os motoristas e outros empregados consulares nunca tinham visto pessoas de cor na vida, e estranharam muito quando um dos terroristas começou a salivar ao ver um enorme galo amarelo – que estava sangrando até a morte – e pronunciar palavras de vudu.

Em seus pertences foram encontrados panfletos do PSDB, impressos na gráfica da FIESP e insuflando o impeachment da princesa Dilma Roussef, assim como celulares criptografados – de uso exclusivo do exército israelense – além de anotações contendo nomes de empresas que se presumem ser offshores, com o que parecem ser números de contas.

Jornalistas locais, membros da força-tarefa ICIJ (International Consortium of Investigative Journalists), confirmaram que os padrões de nomenclatura e numeração revelam a marca registrada do escritório Mossack Temer Fonseca.

O banco HSBC se prontificou, sem qualquer tipo de pressão política, a rastrear os cartões de crédito e traveller’s checks emitidos por ela no nome real dos hoje prisioneiros, detidos na Penal de Libertad.

A atitude gerou suspeita, assim como também causou espanto ambos portarem cartões Platinum da Emirates Business Rewards e deterem cadeiras cativas no estádio do Fußball-Club Bayern München, oferecidas pela FIFA.

O presidente Obama advertiu que os Estados Unidos deverão acompanhar de perto o incidente, para que não ocorram abusos no tratamento judicial dos arrestados, por questão racial, e o czar Putin confirmou que o exército russo sairá em breve da Síria, embora a tentativa de atentado terrorista no Uruguai impacte significativamente a bem sucedida missão de paz russa na Ásia Ocidental.

As contas de Benoît Trouducul Zwabuemba e Aristide Zunubigawe, no FaceTwitter e PinStagram, foram retiradas do ar, por sobrecarga dos principais servidores dessas redes sociais.
As mensagens de apoio e parabenização, pela tentativa do ato, alcançaram a média inédita de mais de 5.000 posts por minuto, em ambos perfis.

(Tannat press)

Uruguay-048

Sem categoria Comentários desativados em Buemba uruguaya!

A amante e a manicure

abr
09

Excelente pai, marido carinhoso, profissional respeitado, amigo de todas as horas, Juliano era um homem exemplar.
Inclusive no que dizia respeito à relação com sua amante, o grande amor de sua vida.
Sem deixar de faltar a nenhum dos seus compromissos sociais, familiares e de trabalho, ele não deixava a bola cair no que dizia respeito ao exercício carnal que mantinha com Marta.

Ela não tinha do que reclamar. Além dos diversos pequenos mimos, de extremo bom gosto e escolhidos a dedo (sempre coincidindo com o gosto pessoal da presenteada),  sua performance sexual era digna de aplausos.

Uma bela tarde, Marta sussurou o nome do marido dela, enquanto gozava. Juliano ouviu e fez de conta que não ouviu.
Mas ficou com a pulga atrás da orelha (e o som daquele nome repercutindo dentro do seu ouvido por dois dias).

Marta foi mudando seu jeito, aos poucos, tornando-se mais pudica, menos disposta a encontros seguidos, sem jeito ao receber os presentes de Juliano.

Em uma manhã chuvosa e fria de verão paulistano, enquanto tomavam um inocente café perto do escritório, ela anunciou que estava grávida do marido, e que a relação deles terminava ali.
Juliano nunca tinha imaginado a possibilidade de sua amante o trair com o próprio marido.
Ele ficou devastado, emagreceu e entristeceu.

Sua mulher confidenciou à manicure, em uma de suas visitas semanais ao salão:

“Não sei mais o que fazer para animar meu marido. Estou quase sugerindo a ele para arranjar uma amante e se divertir um pouco. Você acha que estou ficando louca?”

manicure

Sem categoria Comentários desativados em A amante e a manicure

The book of life

abr
06

Entende-se a vida olhando para trás; vive-se a vida olhando para frente.
Søren Kierkegaard

Hoje surpreendi uma escolar espiando para dentro do restaurante onde eu estava, através da grande vidraça que dá para a rua.
Seu olhar passeava de mesa à mesa, cruzou com o meu e rapidamente se escondeu na calçada pela qual ela caminhava.

Pouco depois, passou a turma que presumi ser a dela: os apressados na frente, os que andam juntos colados e rindo à toa, as gostosas metidas à besta logo atrás, seguidas pelos rapazes com o sangue fervendo e, fechando o cortejo, as gordinhas, os feios, os nerds e demais bullyingnados.

Em um relance incontrolado, vi diversos capítulos da minha vida projetados em minha mente.
Começando de quando eu também era adolescente.
Na sequência dos pensamentos, cenas significativas posteriores, tipo melhores (e piores, também) momentos.

Na mesa ao meu lado, um representante de vendas (suposição de minha parte) repassava o que pareciam ser relatórios.
Em outra, três pessoas (provavelmente parentes próximos) discutiam fervorosamente a respeito de uma quarta, obviamente não presente.
Umas três ou quatro vezes, ouvi:
– Ele fez isto? Mesmo?

Em determinado instante, avistei uma senhora cruzando a rua, apoiada em um andador.
A travessia durou uma eternidade na minha imaginação, talvez uns dois minutos se cronometrada, não imagino o quanto para a idosa.

E a ficha caiu, então, lentamente. Eu, leitor voraz, sempre mergulhado em livros, estava lendo a minha história.
Do começo até agora.
Com direito a um preview das futuras cenas e situações.

Isto se o autor não resolver abreviar a história.andador_pop

Sem categoria Comentários desativados em The book of life

Redes sociais

abr
05

Redes sociais

Sem categoria Comentários desativados em Redes sociais

Si hay gobierno, hay golpe!

abr
05

No Brasil, o Estado é o golpe em si.

A insurreição contra o povo vem de longe e via caravelas.
Instalou-se no Estado do Brasil (1530 – 1815), fazendo do território nacional sua casa.
Pouco lhe importa as dissidências políticas ou filosóficas.
O que realmente conta é o poder.
A todo e qualquer custo.

Inclusive via golpe, aparentemente contra si mesmo.

530005063683359

Sem categoria Comentários desativados em Si hay gobierno, hay golpe!

O fim anunciado

mar
08

Plan Alpha tinha pouco tempo de vida.

Os cientistas deste base espacial – que tinha se desarragado da ilha-mãe durante uma tempestade sideral de força negativa de -√∂486øΩ – elegeram como seu passatempo único determinar o dia e hora em que morreriam.

Embora todos os sistemas de comunicação com PsiLotron 38, e inclusive com a longínqua e quase esquecida Terra (através de 41 reverted independent laser capsules), funcionassem perfeitamente, eles os tinham desligado.

Já estavam fartos das homenagens póstumas antecipadas, das entrevistas nas redes sociais panestelares, dos discursos religiosos e políticos, dos testes biopsíquicomoleculares atômicos e dos sedentos patrocinadores, que pediam mais fotos e depoimentos sobre a utilização de seus produtos no mais adverso dos espaços.

O prêmio, para o vencedor, consistia em ver os outros morrerem antes. Dr. Felix Amuar Schwarzenstein, inventor do algoritmo cerebral plasmático, tinha conseguido determinar, com a probabilidade de acerto de 98,235467%, o momento final.

Há menos de 3.750 nanoneutronspulsionais (um pouco menos de 10 minutos, na antiga escala terrestre temporal), ele sofreu um ataque cardíaco fatal, por excesso de ansiedade incontida.

Desta forma, não só não saboreou sua vitória como estragou a festa de seus colegas de profissão e infortúnio.

A humanidade evolui, mas os homens não mudam.

 

 

 

 

Sem categoria Comentários desativados em O fim anunciado

Lá no restaurante de Maria

nov
14

A doença o pegou de jeito e ele optou por não se privar de comer e beber.
Tornou-se cliente mais assíduo ainda do restaurante de Maria. Era mão aberta como os sempre presentes amigos – amigos estes da mão aberta e não dele, o amigo doente.

Sempre pagou a conta e um dia pediu fiado, pois tinha esquecido a carteira.
Nunca mais voltou.
Nem os amigos, mas isto já se previa.

Maria acha que ele se foi e que se encontrarão um dia.
Ele manda dizer que não há pressa.
E que agradece a confiança nele depositada.

image

Sem categoria Comentários desativados em Lá no restaurante de Maria

Dia mundial da gentileza

nov
13

– Vá para a *%@# *!# % !*@%$, fazendo o favor!
– Muito obrigado, levarei recomendações suas a $*¨@ *&¨*$+#%! de sua mãe.

Neste dia mundial da gentileza, faça a sua parte e torne o mundo um lugar melhor.

(E antes que alguém comente sobre o diálogo imaginário acima, reproduzimos uma conversa antiga em Brasília, para demonstrar que a arte imita a vida.)

– Vossa Excelência finge que não está vendo, mas eu já pedi o processo há algum tempo – diz Gabeira.
– Vossa Excelência falou muito baixo e muito fino – responde Severino.
Gabeira reclama e Severino emenda:
– Vossa Excelência, deputado, recolha-se à insignificância de vossa Excelência.

image

Sem categoria Comentários desativados em Dia mundial da gentileza

A matemática da vida

nov
11

Quando nasci, eu tinha 0 anos (é o que me dizem, eu não lembro de nada).
Depois fiz 1, 2, 3, 4, 5…
Aos 14 anos, queria ter 18.
Aos 17, era tão radical como um velho de 50.
Aos 18, achei que era imortal.
Aos 35, descobri que não era.
Aos 38, eu parecia ter 58.
Aos 42, 38.
Aos 45, 45.
Aos 50, acreditei ter 70, por perceber que a mente não parava, já o corpo não acompanhava… tudo.
Aos 59, me sinto como se tivesse 18, não fosse este corpo que grita 58.

Nos meus sonhos, sou sempre jovem, sem idade definida.

Puro espírito, sem matéria.

Acho que estou sendo enganado, de algum jeito, em algum lugar, em algum momento.

image

Sem categoria Comentários desativados em A matemática da vida

Amor perdido

nov
10

Ele procurou diversos desses amores perdidos ao longo da vida e um dia, então, a ficha caiu: amor não se procura, amor se encontra.

image

Sem categoria Comentários desativados em Amor perdido

Sessão Adeus (a Deus)

nov
05

Morreu Moacir Japiassu – jornalista e escritor, dotado de humor fino e cáustico.
Reproduzo aqui uma frase dele, que pode se aplicar à história de nosso país, qualquer que seja o período em questão:

No Brasil, a realidade é tão impressionante, sórdida, canalha, que já pode ser considerada ficção.

(sugestão de leitura: http://antesqueeumeesqueca.weebly.com/jornal-da-imprenccedila.html)

image

Sessão recall

nov
04
A mais nefasta consequência do marketing desenfreado e irresponsável do mundo das empresas é o infelizmente famoso recall.

Vendem-se produtos e serviços ainda não totalmente prontos ou testados, só para sair na frente, ganhar da concorrência e atrair os incautos (leia-se nós!).

Você gasta a economia de uma vida toda para comprar um carro 0KM, e aí é avisado que a tampa do tanque de gasolina tem um defeito e que seu veículo, sob certas condições, pode explodir.

Para mim, isto é crime. Imagine se a moda pega e pense nas seguintes situações de recall:

– Aqui é a secretária do dr. Gustavo. Estou ligando para avisar que ele esqueceu uma pinça em seu estômago, durante a operação. Vamos marcar outra cirurgia em breve; enquanto isto, evite ir ao banheiro para fazer o número 2.

– Olá, sou Teresa, do restaurante Delícias Mineiras. Descobrimos que o porco que servimos no Tutu da Diva, ontem, estava com peste bubônica. Se a senhora ainda estiver viva, por favor dirija-se ao posto de saúde mais próximo. 

image

Sem categoria Comentários desativados em Sessão recall

Falta de opção

nov
03

– Por que será que eles acreditam em tudo que o padre ou o pastor falam no domingo, na missa ou no culto?

– Provavelmente por que eles não têm em quem acreditar no resto dos dias, de segunda a sábado.

(inspirado em um verso de canção de Johnny Cash)

image

Sem categoria Comentários desativados em Falta de opção

Se liga, tio!

nov
02

Instrutiva conversa com uma menina de 4 anos

– Como você se chama?
– Luísa.
– Que nome bonito! E como se escreve? Com S ou com Z?
– Não, tio, é com L.

image

Sem categoria Comentários desativados em Se liga, tio!

Discutindo a relação

nov
01

– Sinto que há um muro entre nós, – ele escreveu na carta semanal que enviava à namorada.

– Mas há um muro, mesmo, – ela respondeu. Vivemos em Berlim, cada um em um lado dessa cidade dividida. Mas um dia o muro cai!

No final de 1989, o muro realmente começou a cair e o povo berlinense podia, finalmente, andar livremente para cima e para baixo, para o oeste e o leste, para a direita, para o centro e para a esquerda.

Eles se encontraram neste dia histórico e em todos os dias que seguiram, durante algum tempo.
E depois se separaram, sem falar muito sobre o assunto.
Às vezes, era ele que não aparecia ao encontro marcado, às vezes era ela, no fim nenhum dos dois marcava mais presença.

– É muito louco, mas no tempo dessa guerra fria eu tinha esperança e um grande amor por Marie. Desejei que o muro caísse, e com ele caíram juntos o grande amor e a esperança, – anotou ele em seu diário.

Marie, por sua vez, escreveu em sua última carta para ele (carta que ela nunca chegou a mandar):

– Tenho a impressão que a melhor maneira de matar nossos sonhos é fazer com que eles se realizem.

image

Sem categoria Comentários desativados em Discutindo a relação

Olímpiadas Rio 2016

out
31

Após os ataques terroristas simultâneos ocorridos em Londres, Liverpool e Leeds (the triple L doomsday) no final de setembro deste ano, ficou acertado entre os países-sede dos futuros jogos que os eventos serão meramente esportivos.

Afora os atletas, estarão presentes nos estádios e ginásios apenas o pessoal técnico (juízes, cronometristas, auxiliares), o de apoio (médicos e enfermeiros, intérpretes, recepcionistas e motoristas) e as forças de segurança (exército, agências governamentais e força policial).

O evento será todo retransmitido por uma equipe “branca”, ou seja, por um time de profissionais contratados para cobrir a totalidade das competições de forma digital, em vídeo, aúdio e feel-A-like (o recém-lançado sistema de propagação digital de sentidos olfáticos, glandulares, musculares e tácteis).

Cada empresa de mídia (TVs abertas e a cabo, jornais, rádios, portais de internet etc.) alocará seus respectivos narradores, comentaristas e demais profissionais em suas próprias sedes, e todos utilizarão a fonte única de streaming gerada pelo Comitê Digital Olímpico.

Eventuais exceções e ocorrências não previstas serão analisadas e resolvidas real time pela Diretoria Transnacional das Marcas Altamente Interessadas, composta por um representante de cada empresa patrocinadora (a empresária proprietária da internet – o Google, o consórcio eletrônico Apple/Samsung,  o conglomerado etílico Ambev/Imbev/Worldbev, a federação global da indústria farmacêutica, o fabricante de automóveis VW Ford/Honda Jac Inc e a ONG – Associação Mundial de Narcotráfico Sócio-recreativo).

Aos governos locais dos países-sede será liberada a presença de um delegado, sem direito à opinião nem voto. O mesmo vale para o secretários-geral da ONU, UNESCO e demais instituições decorativas.

image

Sem categoria Comentários desativados em Olímpiadas Rio 2016

Pesadelo televisivo

out
30

Ela estava sonhando com Luciano Huck, e a história toda – como a maioria dos seus sonhos – não tinha pé nem cabeça.

De repente, no meio de uma cena de ação, ele se vira para Patrícia (nossa sonhadora heroína) e pergunta, na lata:

– Por que você não trabalha com algo que dê dinheiro, ao invés de querer seguir sua vocação e ajudar os outros? Vai por mim, é muito melhor. Inclusive, tem uns truques básicos que posso te ensinar.

Não deu tempo de ela responder, pois acordou neste exato momento. A mãe dela tinha lhe ensinado a nunca ser mal-educada, nem mesmo em sonhos.

image

Sem categoria Comentários desativados em Pesadelo televisivo

FuckMySelfie

out
29

Acabo de ler o seguinte parágrafo de uma matéria de um jornal velho, que achei dentro de minha gaveta de “assuntos temporários a serem resolvidos em breve”:

Pesquisas revelam que pessoas que fazem selfies demais tendem a ter personalidades narcisistas, psicopáticas e maquiavélicas. Elas também parecem ter uma profunda necessidade de autogratificação, buscando a aprovação social via internet. 

Saco! Logo hoje, que tirei uma superfoto bacana de mim mesmo…

image

Sem categoria Comentários desativados em FuckMySelfie

Faleceu ontem…

out
28

Descobri, totalmente sem querer, uma estação AM na cidade de São Paulo, com um programa matutino que traz os óbitos do dia.

Morbidamente curioso, ligo o rádio diariamente e fico extremamente feliz em não ter ouvido meu nome ainda.

Confesso, porém, não ter acompanhado todos os programas, e algumas vezes a dúvida paira sobre minha cabeça.

image

Sem categoria Comentários desativados em Faleceu ontem…

Por favor, obrigado, de nada

out
27

O minúsculo cachorrinho agachou, com aquela cara de quem está fazendo a maior força, e soltou um troço enorme.

A dona dele, de bunda empinada e espremida numa daquelas modernas roupas de academia, teclava alegremente.

Acabada a obra, ela se pôs a andar, deixando a prova do crime no meio da calçada.

Abri o portão, catei aquele excremento (que por sorte estava firme e duro), fui atrás da dupla de fugitivos e disse:

– Você esqueceu isto!

Sem reação, ela me deixou abrir a mão direita dela, na qual depositei a lembrancinha da festa. Dei a volta e fui embora.

A vaca nem me agradeceu. O pessoal é muito mal-educado mesmo.

Passei o resto da tarde lavando a mão e me perguntando como tinha superado o nojo e enfiado a mão naquilo.

image

Sem categoria Comentários desativados em Por favor, obrigado, de nada

Privilégio…

out
26

… é poder andar a pé em São Paulo, de casa para o trabalho e de volta.
Conheço poucos que possam fazê-lo.

Bênção, por outro lado, é não cair nesta buraqueira, que o pessoal também chama de calçada.

image

Sem categoria Comentários desativados em Privilégio…

Nem Freud explica

out
24

Os psicólogos acham que são os donos da verdade.
Já os psicanalistas têm certeza.

 

Sigmund_Freud_1926

Sem categoria Comentários desativados em Nem Freud explica

Perfeição

out
24

Eu nunca acreditei em perfeição, até ter encontrado algumas pessoas; elas são idiotas perfeitos.

 

idiota

Sem categoria Comentários desativados em Perfeição

Pensamentos movidos a vinho 02

out
22

Nem todas poesias são escritas com palavras.

image

Sem categoria Comentários desativados em Pensamentos movidos a vinho 02

Pensamentos movidos a vinho

out
22

O fantasma só aparece para quem tem medo dele.

(Frase pronunciada por um douto amigo, formado pela escola da vida. É ele quem aparece na foto.)

image

Impoliticamente correto 02

out
21

Os defensores das redes sociais – acusadas de promoverem relacionamentos superficiais – costumam argumentar que, ao contrário do que se diz, elas permitem aos seus usuários de conhecerem outras pessoas e culturas.

Não é o que vemos, é?
A pessoa normalmente convida apenas seus próprios amigos/colegas/familiares, e amigos/colegas/familiares destes, a fazer parte de sua rede.
Ela escolhe, cuidadosamente, aqueles que pensam ou sentem ou agem ou falam como ela.

Em outras palavras, ela exclui toda pessoa e cultura que não seja conhecida sua ou que lhe interesse.
Ela explicita clara e formalmente, de maneira digital, o quadrado dela e quem pode entrar nele.

As redes sociais não abrem as portas a novos relacionamentos e culturas, mas fazem exatamente o contrário.

Quer ver a prova disto? Da próxima vez que estiver no metrô, no ônibus, no restaurante, na fila do cinema etc., repare como as pessoas estão se relacionando com os outros, à sua volta.

 

facebook

Sessão recaída 02

out
20

– O cara está causando, – comentou um livro para o seu colega de mesa (entreposto temporário).

– Novos ares fazem bem, e aprendemos a conhecer outros títulos, – respondeu o panfleto que estava do lado esquerdo.

– Mas eu estava tão bem, no meu  cantinho, na terceira prateleira do armário.

– Pois é, veja como é a vida. Os homens nos acusam de querermos mudar a cabeça deles. E quando alguém resolve arrumar sua biblioteca, quem reclama do desconforto da mudança somos nós.

image

Sem categoria Comentários desativados em Sessão recaída 02

Sessão recaída 01

out
19

Um belo dia, comprometi-me comigo mesmo a não mais adquirir livros impressos.

Daquele momento em diante, só compraria ebooks. Cumpri parte do compromisso, pois meu ereader está cheio de títulos eletrônicos.

Confesso, porém, que volta e meia fraquejo e compro um livro de carne, osso e alma.

Esta quebra de promessa me deixa absurdamente feliz, e esse estado de espírito só é superado quando o coloco em sua estante.

Fico observando e ouvindo, em uma atmosfera de absoluto respeito e silêncio, os títulos e autores – vizinhos de uma ordenação imposta por mim – se apresentarem e conversarem entre si.

image

Sem categoria Comentários desativados em Sessão recaída 01

Impoliticamente correto 01

out
19

Não existe nada mais chato – ou perigoso, na realidade – do que o politicamente correto.
Se eu fosse argumentar, começaria por afirmar que se é político, já não pode ser correto.

7390024184_88b90e3cac

 

Sem categoria Comentários desativados em Impoliticamente correto 01

Feira do Livro de Frankfurt 07

out
17

Perguntaram-me se vim à Feira do Livro ou à Feira de Gastronomia de Frankfurt.

A pergunta é legitima.

Visitei profissionalmente a primeira e promovi – secreta e oficiosamente, só para mim – a segunda.

Ambas foram muito proveitosas!

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 07

Feira do Livro de Frankfurt 06

out
17

Não é marketing, não!

A rapaziada, além de ler muito aqui na Alemanha, vive literalmente na pele suas personagens prediletas.

Hoje a exibição é aberta ao grande público (composto de um monte de gente pequena/crianças) e torna-se uma enorme e colorida festa à fantasia.

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 06

Feira do Livro de Frankfurt 05

out
16

Como se diz mais ou menos em alemão?
Resposta: exatamente mais ou menos.

Está é uma piada velha, mas está ancorada na realidade. O povo alemão é preciso e exato, e não há lugar para o jeitinho brazuca.

Brinco com meus colegas de profissão que o livro 50 tons de cinza foi lançado aqui como 25 tons de preto e outros 25 de branco.

Ontem à noite, passei duas horas lendo e jogando fora papelada coletada nesta Feira do Livro. O que não coube no lixo, deixei ao lado dele.

Volto agora de um dia inteiro percorrendo pavilhões de stands de editoras – com mais papelada embaixo do braço – e encontro o cesto de lixo do quarto do hotel da forma retratada abaixo.

image

Feira do Livro de Frankfurt 04

out
16

Devo estar com saudades do Brasil… ou então meu inconsciente está me mandando uma mensagem, que ainda não entendi.

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 04

Feira do Livro de Frankfurt 03

out
15

Na difícil missão de elaborar o infalível plano de dominação mundial, ou seja, de me tornar um escritor de sucesso global.

Vou pedir a ajuda do satânico Dr. No (James Bond), de Darth Vader (Guerra nas Estrelas) e do Cebolinha (aquele, da revistinha da Mônica).

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 03

Feira do Livro de Frankfurt 02

out
15

Um provérbio holandês afirma que uma boa alma não pode viver em um corpo vazio.

Nem em um copo vazio, devo acrescentar.

Estou fazendo minha parte.

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 02

Feira do Livro de Frankfurt 01

out
14

Na maior feira editorial do mundo – inaugurada alguns anos após Gutenberg ter inventado a prensa – um evento até hoje muito frequentado e altamente respeitado.

Na foto, aflitos candidatos a escritor permanente (aquele que sobrevive por ganhar dinheiro com a profissão, e não só apenas por tesão), ouvidos e olhos abertos, durante uma palestra sobre autopublicação.

Inimigo público desta aberração psicológica denominada “selfie”, não apareço na imagem, por motivos óbvios.

image

Sem categoria Comentários desativados em Feira do Livro de Frankfurt 01

O monstro do mar

out
10

Dentro de todos nós mora um monstro.
Mas não se preocupe, ele é o do Bem.
Conheça-o e descubra que seu melhor amigo é você mesmo.

Um livro para todas as idades.

Download gratuito. Baixe o livro e leia-o no celular, tablet ou computador.

www.ofielcarteiro.net/o-monstro-do-mar

Sem categoria Comentários desativados em O monstro do mar

Entre duas paradas…

out
06

image

… o que é possível postar no celular?
Não sou o rei da prestidigitação nem sofro de verborragia.
E justo agora minha irrequieta mente resolveu entrar em modo contemplativo.
Ficam as fotos de lembrancinhas desta curta festa.
image

Sem categoria Comentários desativados em Entre duas paradas…

Vejo histórias em qualquer pessoa que observo

out
05

A síndrome começou não sei bem quando e agora já se tornou um hábito. Estou guiando o carro, paro no farol e percebo uma moça esperando o ônibus no ponto. Imediatamente ouço uma voz contando parte de sua vida (isto depende do meu olhar, onde ele se fixa na pessoa; o que vem dos olhos normalmente tem um quê de sofrimento).

Ando na rua e vejo uma cena qualquer através da janela de uma casa ou apartamento; o passado me é revelado de imediato e as cenas do próximo capítulo começam a passar em minha mente. Alguma vezes em ritmo de videoclip, outras lentamente.

E quando sento para transcrever estes contos, aventuras, tragédias, romances e epopeias, meus dedos emudecem, meus olhos calam, minha voz se fecha, minhas recordações adormecem.

nathalia2

Sem categoria Comentários desativados em Vejo histórias em qualquer pessoa que observo

Celular mudo

out
02

Toda vez que um conhecido morre, me apresso em fazer contato com ele.
Se for um amigo, ligo para sua casa ou celular, e deixo um recado.
Quando ele não atende, mando um Whatsapp ou mensagem via Face.

Sempre acabo descobrindo que a tecnologia digital de nada ajuda, nestas horas.

celulares

Sem categoria Comentários desativados em Celular mudo

O ditado de inglês

set
30
Na terceira semana, eu já tinha matado a charada: o ditado de inglês que a professora nos passava, toda segunda-feira, era o texto que ela tinha lido na semana anterior e com o qual tinha mais se identificado.

Ela costumava ler dois, mas um deles era o que mexia com ela. Era quase que um transe – ela não só interpretava o que estava sob seus olhos. Seu corpo o expressava, sobretudo pela respiração, o que fazia seu colo subir e descer, juntamente com nossas imaginações.

Sempre o último da classe – seguindo uma tradição que eu tinha inaugurado há alguns anos, e mantinha com fidelidade e regularidade exemplares –, resolvi tirar a melhor nota na matéria. E, quando ela declamou aquele poema, naquela aula, sorri para mim mesmo.

Passei o domingo todo fazendo a melhor cola do mundo; escrevi e rasguei tantas folhas que, ao final, já conhecia o texto de cor. Finalmente, no final da tarde, a cópia perfeita estava pronta.

No dia seguinte, quando ela nos instruiu a pegar uma folha em branco e começar a escrever o que nos ditaria, sorri de novo ao ouvir a primeira palavra. Meu palpite estava correto: era o texto que se encontrava pronto, imaculado e perfeito, embaixo da carteira escolar.

Enquanto meus colegas sofriam, eu alegremente fazia de conta que me esforçava e, em alguns momentos, escrevia as palavras antes que fossem pronunciadas (tempos depois, caiu a ficha de que preparar cola era a melhor maneira de se aprender alguma coisa).

Na hora de entregar o ditado, rapidamente troquei as folhas.

Na aula seguinte, a professora começou a devolver as provas e, na minha vez, disse: “Perfeito. Nenhum erro. Tem até um parágrafo a mais.”

Ela tinha encurtado o poema, e meu ditado o trazia completo. Nota zero, obviamente!

Mandado à diretoria para me explicar – outro costume semanal que cumpria à risca -, fui saudado por um sorriso sarcástico que me perguntou: “O que foi desta vez?”.

“Estudei demais”, respondi com toda honestidade do mundo.

Robert-Doisneau-une--salle-de-classe-1957

Sem categoria Comentários desativados em O ditado de inglês