Jerome Vonk

A matemática da vida

nov
11

Quando nasci, eu tinha 0 anos (é o que me dizem, eu não lembro de nada).
Depois fiz 1, 2, 3, 4, 5…
Aos 14 anos, queria ter 18.
Aos 17, era tão radical como um velho de 50.
Aos 18, achei que era imortal.
Aos 35, descobri que não era.
Aos 38, eu parecia ter 58.
Aos 42, 38.
Aos 45, 45.
Aos 50, acreditei ter 70, por perceber que a mente não parava, já o corpo não acompanhava… tudo.
Aos 59, me sinto como se tivesse 18, não fosse este corpo que grita 58.

Nos meus sonhos, sou sempre jovem, sem idade definida.

Puro espírito, sem matéria.

Acho que estou sendo enganado, de algum jeito, em algum lugar, em algum momento.

image

Sem categoria Comentários desativados em A matemática da vida

Comments

Comments are closed.