Jerome Vonk

O fim anunciado

mar
08

Plan Alpha tinha pouco tempo de vida.

Os cientistas deste base espacial – que tinha se desarragado da ilha-mãe durante uma tempestade sideral de força negativa de -√∂486øΩ – elegeram como seu passatempo único determinar o dia e hora em que morreriam.

Embora todos os sistemas de comunicação com PsiLotron 38, e inclusive com a longínqua e quase esquecida Terra (através de 41 reverted independent laser capsules), funcionassem perfeitamente, eles os tinham desligado.

Já estavam fartos das homenagens póstumas antecipadas, das entrevistas nas redes sociais panestelares, dos discursos religiosos e políticos, dos testes biopsíquicomoleculares atômicos e dos sedentos patrocinadores, que pediam mais fotos e depoimentos sobre a utilização de seus produtos no mais adverso dos espaços.

O prêmio, para o vencedor, consistia em ver os outros morrerem antes. Dr. Felix Amuar Schwarzenstein, inventor do algoritmo cerebral plasmático, tinha conseguido determinar, com a probabilidade de acerto de 98,235467%, o momento final.

Há menos de 3.750 nanoneutronspulsionais (um pouco menos de 10 minutos, na antiga escala terrestre temporal), ele sofreu um ataque cardíaco fatal, por excesso de ansiedade incontida.

Desta forma, não só não saboreou sua vitória como estragou a festa de seus colegas de profissão e infortúnio.

A humanidade evolui, mas os homens não mudam.

 

 

 

 

Sem categoria Comentários desativados em O fim anunciado

Comments

Comments are closed.