Jerome Vonk

Brasil Brokers, Idiota!

abr
29

O celular tocou.
Uma, duas, três vezes. Em cinco minutos.
Não atendi, pois estava resolvendo um assunto importante naquele momento.

Saí da agência do Itaú, do Center Três da avenida Paulista, me perguntando quem estaria me chamando, com esta insistência, por um número que meu smartphone não identificou.
O celular tocou pela quarta vez.

– Alô?
– Aqui é Marisa, da Brasil Brokers. Estou com uma oferta exclusiva e limitada de um empreendimento top, que bate com seu perfil. São espaçosos 22 m² bem distribuídos…
– Ei, ei, ei… Quem te deu meu número?
– Peguei numa lista, aí…
– Então apague meu registro. Agora. Isto é spam telefônico e eu nunca autorizei…
– Seu idiota!

Marisa desligou o telefone na minha cara. E eu fiquei no vácuo, tentando digerir a experiência (palavra da moda) proporcionada pela Brasil Brokers.

Cheguei à conclusão que sou um consumidor muito mal-agradecido.
Que não reconhece o esforço do pessoal do telemarketing em me perseguir, sempre que possível, e oferecer ou produtos e serviços que já tenho ou que nunca desejei.
Que não tem consideração com os atendentes de loja ou caixas de supermercados, cujas animadas conversas vitais interrompo com minha fútil intenção de compra.
Que não admira marca e nem torce por nenhuma corporação ou instituição.

Não fosse pelo fato de ter algum dinheiro me tornar um potencial desejado consumidor, eu não passaria de um mero cidadão. Extremamente mal-agradecido, por sinal.

 

Comentários desabilitados – por causa do número estratosférico de mensagens spam – mas extremamente bem-vindos: cartas (arroba) ofielcarteiro.net